novembro 18, 2011

A Peleja do Diabo com o Dono do Céu





A Peleja do Diabo com o Dono do Céu
Zé Ramalho

Com tanto dinheiro girando no mundo.
Quem tem pede muito quem não tem pede mais 
Cobiçam a terra e toda a riqueza 
Do reino dos homens e dos animais 
Cobiçam até a planície dos sonhos 
Lugares eternos para descansar
A terra do verde que foi prometido 
Até que se canse de tanto esperar 
Que eu não vim de longe para me enganar 
Que eu não vim de longe para me enganar 

O tempo do homem, a mulher, o filho 
O gado novilho urra no curral 
Vaqueiros que tangem a humanidade 
Em cada cidade e em cada capital 
Em cada pessoa de procedimento 
Em cada lamento palavras de sal 
A nau que flutua no leito do rio 
Conduz à velhice, conduz à moral 
Assim como deus, parabéns o mal 
Assim como deus, parabéns o mal 

Já que tudo depende da boa vontade 
É de caridade que eu quero falar 
Daquela esmola da cuia tremendo 
Ou mato ou me rendo é lei natural 
Num muro de cal espirrado de sangue 
De lama, de mangue, de rouge e batom 
O tom da conversa que ouço me criva 
De setas e facas e favos de mel - guerra
É a peleja do diabo com o dono do céu
É a peleja do diabo com o dono do céu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Voce é livre e responsável por seus comentários, todos serão publicados desde que devidamente assinados por seus autores, reservo-me o direito de excluir comentários com ofensas ou injúrias a quem quer que seja.
2. Devido a tantos comentários sem identificação, infelizmente somente publicaremos os comentários que atendam tais propósitos.
3. Ofereça seu ponto de vista, é muito importante.