dezembro 04, 2013

Utopia e Paixão, a saga do povo Lagunense

“Utopia” uma palavra que representa uma fantasia, um lugar que não existe, um mundo paralelo, inatingível. “Paixão” sentimento intenso que ofusca a razão. A união das palavras define parte do povo Lagunense, vivendo em um mundo paralelo onde sonhamos com algo inatingível acreditamos que vamos ter um dia uma cidade mais ordeira, onde o poder público proteja o cidadão, o patrimônio natural e suas belezas conservando e fomentando o conhecimento de sua história, ledo engano.

       Foto: Antonio de Bastos
A paixão deixa-nos cegos perante a quase morta cidade, esquecemos de tudo na hora da escolha de nossos representantes, ficamos embriagados com as mais variadas promessas falsas e discursos de uma Laguna melhor, discursos que após tantas outras repetidas vezes já soam como piadas, porém  já não rimos mais, do engraçado ao pitoresco para não dizer grotesco apenas continuamos ano após ano seguindo como cordeiros os lobos travestidos de pastores, nossa terra continua crescendo,para baixo, sem auto promoção vivemos do já teve, sonhamos e continuamos apaixonados por utopias.

Pouco se faz para melhorar a imagem da terra de Anita, notícias ruins correm os noticiários em rede nacional com frequência, tampouco existe preocupação em elevar a autoestima do cidadão, o que vemos são projetos feitos para agradar alguns poucos, a lei da “farinha pouca meu pirão primeiro” é a máxima de um reino falido, não existe vontade em proteger os nossos botos e nossa história, nossos antepassados estão a deriva, eventos considerados de baixo custo feitos por uma minoria que ainda insiste em acreditar que vale a pena não recebem a importância devida, jetskis desafiam todas as leis e ninguém fiscaliza, monumentos apodrecem entre sujeira, maltratos e vandalismo, cães abandonados e gatos proliferam nas ruas e nos molhes da barra sem um olhar mais atento dos responsáveis pela saúde pública, artistas de várias áreas sofrem para se promoverem, até o mais simples que é um conserto de um banco da praça principal da cidade é esquecido pelo paço municipal, simples cuidados são deixados em terceiro plano.

Sonhamos em reviver uma época que não volta mais, vivemos de memórias a cada dia mais esquecidas. Mas nós Lagunenses não desanimamos, orgulhosos dos feitos históricos continuamos apaixonados, esperando por algo mais, torcemos pelo inusitado que nos faça encher o peito e dizer “somos lagunenses e daí?” com o coração e a alma repleta de amor por nossa terra, enamorados a cada por do sol nas docas do cais do porto esperamos por outro dia, outro novo amor, outro encantamento.

O futuro clama por algo mais concreto e mais verdadeiro, precisamos deixar de sonhar com as utopias e vivermos a plenitude das paixões,é preciso dar início as revoluções partindo das idéias a concretização das atitudes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. Voce é livre e responsável por seus comentários, todos serão publicados desde que devidamente assinados por seus autores, reservo-me o direito de excluir comentários com ofensas ou injúrias a quem quer que seja.
2. Devido a tantos comentários sem identificação, infelizmente somente publicaremos os comentários que atendam tais propósitos.
3. Ofereça seu ponto de vista, é muito importante.